22 de abril de 2010

A dor que dói mais

Trancar o dedo numa porta dói. Bater com o queixo no chão dói. Torcer o tornozelo dói. Um tapa, um soco, um pontapé, dóem. Dói bater a cabeça na quina da mesa, dói morder a língua, dói cólica, cárie e pedra no rim. Mas o que mais dói é saudade.
Saudade de um irmão que mora longe. Saudade de uma cachoeira da infância. Saudade do gosto de uma fruta que não se encontra mais. Saudade do pai que já morreu. Saudade de um amigo imaginário que nunca existiu. Saudade de uma cidade. Saudade da gente mesmo, quando se tinha mais audácia e menos cabelos brancos. Dóem essas saudades todas.
Mas a saudade mais dolorida é a saudade de quem se ama. Saudade da pele, do cheiro, dos beijos. Saudade da presença, e até da ausência consentida. Você podia ficar na sala e ele no quarto, sem se verem, mas sabiam-se lá. Você podia ir para o aeroporto e ele para o dentista, mas sabiam-se onde. Você podia ficar o dia sem vê-lo, ele o dia sem vê-la, mas sabiam-se amanhã. Mas quando o amor de um acaba, ao outro sobra uma saudade que ninguém sabe como deter.
Saudade é não saber. Não saber mais se ele continua se gripando no inverno. Não saber mais se ela continua clareando o cabelo. Não saber se ele ainda usa a camisa que você deu. Não saber se ela foi na consulta com o dermatologista como prometeu. Não saber se ele tem comido frango de padaria, se ela tem assistido as aulas de inglês, se ele aprendeu a entrar na Internet, se ela aprendeu a estacionar entre dois carros, se ele continua fumando Carlton, se ela continua preferindo Pepsi, se ele continua sorrindo, se ela continua dançando, se ele continua pescando, se ela continua lhe amando.
Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche.
Saudade é não querer saber. Não querer saber se ele está com outra, se ela está feliz, se ele está mais magro, se ela está mais bela. Saudade é nunca mais querer saber de quem se ama, e ainda assim, doer.
Martha Medeiros

14 comentários:

Rebeca disse...

Eu adoro os textos da Martha, as vezes eles dizem tudo que queremos dizer e não conseguimos!
Tô sempre aki, mas tenho uma preguiçinha de comentar, rs.
bjs querida!

Victoria*-* disse...

Lindo de mas seu blog e claro vc escreve muito beeem.parabens....seguindo ta....bjooo

Jeniffer Yara disse...

Saudade é tudo isso mesmo,é o não saber,o não querer saber,o não poder saber! Por isso dói e muito!

Lindo post!*.*

Bjs!

Mandy disse...

Saudade é não saber. Saudade é não querer saber. =/ Ai a saudade. Porque existe essa dor tão grande junto dela, quando diz respeito a pessoa amada?! Mas ao mesmo tempo, dá um conforto, relaxa de uma maneira unica. :D Sentir saudades mostra o quanto aquela pessoa é querida e amada.
Adoorei *---*
Beijos
Mandy

Debbys disse...

Lindo lindo!! mas achei que o texto era seu... mas mesmo assim, adorei!! ^^
bjuss

Emi disse...

Ê, saudade... Saudade dói mesmo, mas talvez o fato de acostumar com a ausência amenize aos poucos esse sentimento tão cruel. Na verdade, tudo tem um porquê. E se houve separação de alguma forma, existe um motivo; talvez algo mais grandioso, no caso da saudade de amor.
Beijoos, amei o blog!

●๋• тнαi иαรciмєитσ disse...

Você pode não querer mais saber da pessoa, mas se a saudade aperta, você começa a desejar notícias daquela pessoa, como se isso diminuísse a sensação de ausência.

Muito bom o texto. Gostei muito.

AnaCamila disse...

a dor da saudade é cruel...
o texto ficou muito bom... adorei!!

o começo me lembrou uma frase de Paulo Coelho, q nao tem nada a ver com saudade mas eu adoro...
'' esperar dói, esquecer dói, mas não saber que decisão tomar é o pior dos sofrimentos...''
abraços querida...

beijos
=*

www.daqueelejeito.blogspot.com

Isadora disse...

Saudade é não saber. Saudade é não querer saber. =/Hoje estou sofrendo por causa da saudade,depois de um longo período de raiva ela foi a unica coisa que restou =/.
Lindo seu blog

Poney disse...

Parabéns!
lindo texto...
Amei seu blog!

Dani disse...

Nossa, que lindo texto...
Fikei super emocionada ..

Lindo, lindo, lindo ...

Bj.

Wevertton disse...

Adoro os textos da Martha Medeiros

Beijos. Passa la, tô ficando mais velho hj 0/

Alma Inquieta disse...

Olá Caroline!

É verdade meu Anjo lindo!
A mim também o que mais dói é a saudade.
Para qualquer outra dor há um remédio para tomar..., para a saudade não conheço medicamento que cure...

Um beijo e uma excelente semana minha linda!

Anônimo disse...

chemical substances are dangerous