12 de julho de 2010

A ligação

Acordei como um dia qualquer, me espreguicei, abri a janela e fiquei a mirar o sol nascer, mas a minha expressão de olhar o sol nascer era de preocupação. Por que ele não ligou ontem? E nem há três dias atrás? Fiquei ali por horas e horas, quando o ponteiro do relógio bateu 9 horas o telefone tocou, me levantei e fui atender.
Aquela voz não me era estranha e logo a reconheci.
- Onde você esteve? Ficou há três dias sem ligar por quê?
- É... é...
- Mais uma de suas desculpas esfarrapadas, achas que não me preocupo com você? Como você me some há três dias sem dar notícias?
- Mas eu...
- Não tem, mas eu... Não vê que eu fico aflita, preocupada. Você nem a mínimo retorna meus telefonemas, meus e-mails muito menos. Não tem como um relacionamento ir pra frente assim, se quer terminar então me fale, não sou mulher de ficar aturando esse tipo de coisa, e eu já tenho idade suficiente e não preciso ficar agüentando as suas desculpas sem nexo.
- Mas...
- Chega com seus, “mas” e desculpas esfarrapadas, agora que vai falar sou eu! É sempre assim, some três dias e volta com uma desculpa e eu bem idiota te aceito de volta, porque será que eu faço isso? É meu caro, eu ainda te amo e muito, mas não tem condições de nosso relacionamento ir pra frente assim.
- Você não pode fazer isso com nós dois! – sua voz estava tremula
- Posso e devo, é o que vou fazer! Acha que não cansa tudo isso? Não sabe que feri meus sentimentos assim? É não sabe, tu nunca sabe, só sabe dar desculpas muitas esfarrapadas, e eu te aceita de volta. Pra minha chega! Não quero mais sofrer!
- Eu te amo... – escuto um breve choro muito baixinho
- Eu também te amo e muito! Meu coração dói de fazer isso, mas é a minha decisão nesse momento!
- Não quero isso pra gente!
- Mas eu quero, é necessário pra mim, você não está me valorizando da forma como te valorizo! Não tenho mais o que falar pra ti. Acaba por aqui! Suas coisas eu empacoto e mando depois.
Um longo silêncio ficou em nossa ligação.
- Adeus! – disse eu.
Desligo o telefone...

P.S.: Um pouco revoltado né?! Tenho esse conto a muito tempo, mas decidi postar ele hoje aqui.
Bom gente, eu vo ficar sem postar por uma semana pra mais, to em época de provas e depois vem as férias né... Então, até! E boas férias pra vocês!
Não esqueçam daqui!

Beijão

9 comentários:

Luana disse...

forte msm! hehe

Ana.K disse...

Super contos da Caroles *-*

Henrique Miné disse...

algo me diz que ela se arrependeu depois...

"vai depois liga diz pra sua irmã passar que eu vou mandar tudo que é teu que tem aqui, tudo que eu não quero guardar..."

Conhece? É Los Hermanos, me lembrou...

Beeeijos.

Daninha disse...

Fins de realacionamentos são tensos hm*
oapskasopk'
beijos

Debbys disse...

quando se perde é que se dá valor....

bjus =]

Jeniffer disse...

Super revoltado não?Poderia os dois conversarem e se acertarem e ficarem juntos já que os dois se amam,mas sei na vida real não é assim que funciona e sim como você escreveu,rs

Boas provas e boas férias quando vierem!o/

Beijos.

Juliete Souza disse...

Um pouco revoltado mesmo, mas como já disseram, fim de relacionamento é sempre tenso. Mas adorei o texto. Muito bem escrito.

=D

Piie'tra disse...

Ainda sim, esperava que ele dissesse algo... talvez falasse algo que te trouxesse ao arrependimento de pensar tantas coisa... Acho que só em filmes isso tem vez. A realidade.

Fabiano disse...

pq será que nós seres humanos não damos valor as pessoas quando as temos? somos um bicho mto estranho mesmo.